Tratamento Imunológico (15)

EXAMES ESPECIALIZADOS EM REPRODUÇÃO ASSISTIDA E IMUNOLOGIA DA GESTAÇÃO


15) Anexina e anticorpos Antianexina V

A anexina V já foi localizada nas microvilosidades tro-foblásticas da placenta e já se demonstrou que é consi-titutivamente expressa em culturas de trofoblasto, onde impede a trombose intervilosa, devendo promover o fluxo sanguíneo útero-placentário. Uma vez que a anexina V ini­be a ligação dos anticorpos antifosfolípides ao complexo B2GP1-fosfolípides, foi sugerido que os anticorpos anti­fosfolípides (aPL) podem causar deslocamento da anexina V da superfície sinciciotrofoblástica e torná-la pró-coagulante.

Estudos recentes demonstraram que a anexina V está diminuída em pacientes com altas concentrações de aPL e com história de natimortos recorrentes ou perdas tardias da gestação. É possível, também, que a interferência mediada pelos aPL com a anexina V possa interferir no processo de formação do sinciciotrofoblasto, proporcionando um me­canismo alternativo para a função placentária anormal.

Estudo sobre a presença de anticorpos antianexina V em pacientes com LÊS - Lúpus Eritematoso Sistémico en­controu maior incidência de trombose venosa ou arterial, óbito fetal e tempo aumentado de tromboplastina parcial ativada em pacientes com tais anticorpos. Os resultados confirmam que os anticorpos antianexina V podem se as­sociar com eventos trombóticos. Outro estudo verificou maior prevalência de anticorpos antianexina V em mulhe­res com história de abortamentos de repetição e de falhas repetidas de FIV, quando comparadas' com mulheres ges­tantes e não gestantes sem história de infertilidade.

Desta forma, a dosagem de anticorpos antianexina V constitui mais um útil instrumento de investigação de casos de infertilidade possivelmente associados a trom-bofilias.

 

 

Próxima Página

Clínica Fertilis - Rua Marcelino Soares Leite, 33 - Trujillo - Sorocaba-SP - CEP: 18060-390 - Brasil
Fone/Fax: +55 (15) 3233-0708 / (15) 3233-0680 / (15) 3233-0279