Tratamento Imunológico (10)

10) ASPECTOS IMUNOLÓGICOS EM REPRODUÇÃO HUMANA

Observamos que 91 das 102 pacientes (89.2%) apresentaram pelo menos um exame alterado. Houve uma maior prevalência de alterações no grupo com abortamen¬to de repetição (83.9% vs 97.5%, p=0.046). Notamos, ainda, uma maior prevalência de anticorpos antifosfatidil-serina nas abortadoras de repetição, comparando-as com pacientes com falhas de implantação.

A prevalência de alterações imunológicas nestes 2 grupos patológicos é notável. Não seria prudente, ao que parece considerá-las como simples coincidência. Juntamente com todos os dados já disponíveis na literatura, nossos resultados apenas reforçam a importância do sistema imune no processo de reprodução humana. Alem disso o TECE avalia também a porcentagem de espermatozóides imaturos, mostrando (quando superior a 15%) uma fertilização reduzida e indicando ICSI.

A fragmentação do DNA pode resultar de múltiplos fatores como: dieta, uso de drogas, febre alta, tempera¬tura testicular elevada, poluição, fumo e idade avançada. Com exceção da idade, a exposição a estes fatores pode ser transitória, havendo uma melhora da fragmentação do DNA com o decorrer do tempo. Entretanto, de um modo geral, os resultados do TECE são significativamente mais estáveis que as avaliações padrões do esperma (número, mobilidade e morfologia).

 

 

Próxima Página

Clínica Fertilis - Rua Antônio Soares, 232 - Sorocaba-SP - CEP: 18017-186 - Brasil - Fone/Fax: +55(15) 3233-0708