5) Presente para o Dia das Crianças

Enquanto muitos casais estarão à procura de presentes para os filhos no próximo dia 12 de outubro, outros  continuarão em busca de um bebê. Cerca de um em cada cinco casais (20%) tem ou terão problemas para engravidar. Calcula-se que no Brasil existam cerca de 15 milhões de casais inférteis. Estes futuros papais não devem perder as esperanças, segundo o Dr. Lister de Lima Salgueiro, especialista  em Medicina Reprodutiva.

As chances de um casal normal engravidar são de 18% por ciclo de tentativa (ciclo ovulatório). Ao final de um ano de tentativas, 92% destes casais conseguem a gravidez. Hoje, com as técnicas de Reprodução Assistida as chances aumentam. Com a Fertilização In Vitro, a média é de 25% de chance por ciclo, porém esta porcentagem pode chegar a 45% dependendo do caso. “Assim, o tratamento com Fertilização In Vitro se torna muito mais eficiente do que a natureza”, diz o Dr. Lister. A chance de engravidar por ciclo permanece constante em cada casal, mas a chance total de engravidar aumenta (acumula) com o número de tentativas de tratamento.

CAUSAS DA INFERTILIDADE

As causas de infertilidade estão democraticamente divididas, sendo 30% dos casos devido ao fator feminino, 30% devido ao fator masculino, 30% em que ambos têm problema e em 10% não se sabe a causa. Entre as masculinas, a mais comum é a Varicocele, que são veias dilatadas na região escrotal e que causam diminuição na produção e qualidade dos espermatozóides. Outros fatores podem ser de origem hormonal, infecciosa e imunológica. “A maior causa de infertilidade feminina no Brasil são os problemas tubáreos, mas existem também problemas hormonais e ovulatórios, uma doença chamada Endometriose que pode causar seqüelas e outros fatores menos comuns”, explica o especialista.

TRATAMENTOS DISPONÍVEIS

Existem vários tratamentos disponíveis para infertilidade, cada um com uma indicação específica para cada caso.Ao grupo de tratamentos é dado o nome de Técnicas de Reprodução Assistida (TRA). O mais simples é o coito programado onde a paciente tem seus ovários estimulados para ter mais óvulos e mantém relações sexuais no período fértil determinado pelo médico. “Também podemos colocar o sêmen do marido preparado no laboratório, no mesmo período fértil do sistema anterior, caracterizando a inseminação artificial com o sêmen do marido (AIH)”, explica o doutor. Quando o marido não produz espermatozóides pode se usar o Banco de sêmen e a inseminação passa a se chamar Inseminação Artificial com Sêmen de Doador (AID).

Na Fertilização “In Vitro” conhecida como “Bebê de Proveta”, estimula-se a ovulação da paciente para aumentar a quantidade de óvulos, que são coletados através de Ultra-som e levados ao laboratório, onde permanecem na estufa, que simula o ambiente que eles teriam no interior do corpo. Os espermatozóides originários do ejaculado ou dos testículos, podem-ser injetádos diretamente nos óvulos, através da técnica de Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóides (ICSI).

Existem também outras técnicas auxiliares que podem ser utilizadas em conjunto com a Fertilização In Vitro como o Assisted Hatching, Transferência de Citoplasma, Injeção de Espermátide e outras.

Fertilis.dcriança/setembro


            INFORMAÇÕES À IMPRENSA
Jornalista Responsável: Efigênia Menna Barreto/Divulgação: Eliana Zani
e-mail: jornalismo.ebc@sti.com.br  fones: (11) 282-7536/883-1475

 

Voltar ao Menu Mídia Próxima Página

Clínica Fertilis - Rua Marcelino Soares Leite, 33 - Trujillo - Sorocaba-SP - CEP: 18060-390 - Brasil
Fone/Fax: +55 (15) 3233-0708 / (15) 3233-0680 / (15) 3233-0279